quarta-feira, março 09, 2005

A Canalha

Pedro Santana Lopes vai, pelo que tudo indica, voltar a ocupar o lugar de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Não se discute a legitimidade formal da decisão (embora se deva discutir a razoabilidade da lei que permite estes passeios entre cargos públicos). Do ponto de vista estritamente político, no entanto, a legitimidade do cavalheiro é nula. Nula.
PSL sofreu em Lisboa uma das maiores derrotas do PSD no último acto eleitoral. Na prática, nós que o conhecemos ao longo destes últimos 3 anos e tal e que sabemos a nulidade da sua capacidade de administrar a coisa pública, demos a saber, de forma clara, que não o queríamos mais. Pelos vistos não percebeu.
Mas para além da falta de legitimidade política na reassumpção do cargo, PSL demonstrou, para quem ainda, porventura, o não tinha percebido, a sua completa falta de decência e de respeito pelos outros. No caso, a falta de respeito pela vontade expressa pelos lisboetas nas últimas eleições e a falta de respeito por quem lhe sucedeu.
Carmona Rodrigues estava a fazer um trabalho a todos os títulos notável. Em seis meses, começou a andar a obra do túnel do Marquês (que, apesar dos protestos do costume, é uma obra que trará largos benefícios a quem vive e/ou trabalha em Lisboa), conseguiu desbloquear o problema do Parque Mayer, parece ter resolvido o problema da Feira Popular (possivelmente não voltará a existir, mas está resolvido) e pôs em movimento uma série de pequenas obras, que não dando nas vistas trarão melhor qualidade à vida dos lisboetas. É verdade que tem incomparavelmente menos outdoors do que Santana... E tudo isto sem orçamento – para quem não sabe, o executivo da Câmara não conseguiu ver o orçamento aprovado pela Assembleia Municipal e está a governar por duodécimos, o que significa que pouca mais verba há do que a da despesa corrente para manter o município a funcionar.
Considerando que Santana não se recandidatará a um novo mandato autárquico, o seu retorno para a presidência do Município lisboeta não é mais do que um acto oportunista, para resolver problemas pessoais de cariz financeiro e privado, vivendo à custa do município durante mais uns meses até decidir o que fazer do seu (felizmente praticamente inexistente) futuro político. À sua maneira, queimará qualquer hipótese não apenas de desenvolvimento de um trabalho que se começava a vislumbrar como aniquilará qualquer possibilidade de o próximo candidato do PSD ter um resultado digno (e por resultado digno entenda-se uma derrota acima dos 25%).
Com ele, seguramente, voltarão as atrasadas mentais que viveram durante três anos à custa do orçamento, os ordinários que, sem eira nem beira, se alcandoraram ao 'poder' no município, fazendo tábua rasa de conceitos como honestidade, integridade e dever, os incompetentes (e arrogantes) que desgovernaram Lisboa durante 3 anos, fazendo com que João Soares parecesse um exemplo de competência.
A única coisa que me alegra é que os lisboetas apenas o terão que aturar 7 meses. E 3 deles são os do Verão.
AR

Comments:
Um grupo de funcionários da Câmara Municipal de Lisboa criou o blogue Por Lisboa (em http://porlisboa.blogspot.com), contra o regresso de Pedro Santana Lopes à presidência da autarquia.
(informação via Os Cães Ladram e a Caravana Passa, linkado aqui n´AQC)
 
Visite este blog estrelinha ajuizada junte aos favoritos
 
totalmente de acordo!
a lata da personagem não tem limite... nem a vergonha...
 
Pois .. e depois as pessoas votam. E julgam quem concorre . È assim que funciona !

http://apologo.blogs.sapo.pt
 
Mas é este tipo de reacções que ele gosta! E só favorece a sua vitimização!
Agora que é senhor de uma lata descomunal é pois!

o net pulha
 
O Por Lisboa é de facto de funcionários da CML? Torna o blogue muito interessante. Se alguém souber, que confirme, sff.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?