terça-feira, agosto 09, 2005

TV Rural

A TV Rural era um dos maiores pesadelos dos meus fins-de-semana. A programação a sério - ou seja, a de que eu gostava - só começava depois. E aquilo nunca mais acabava. Um dia ouvi falar de Kiwis. Não fazia a mínima ideia do que eram. Mas lá estavam uns senhores de boina, colete de lavrador e camisa aos quadrados, a falar do risco que era lançar uma nova fruta no mercado, mas como era boa e tal. E eu a pensar 'Mas que raio será um Kiwi?'. Alguns anos depois, os Kiwis seriam fruta corrente.
Mas a TV Rural era apenas um de um grupo de programas que me atormentavam. A ela juntava-se um programa do Vitorino Nemésio, um padre a falar da Rê Tê Pê, as secas das "Conversas em Família", que passavam muitas vezes antes das transmissões das Corridas de Touros, onde o Ricardo Chibanga toureava de joelhos, e a Tropicália, que passava sempre antes do Cinema de Animação, do Vasco Granja.
Há alguns anos, Sousa Veloso entrou na mesma carruagem de Metro onde eu me deslocava. Estava velho, com a peruca escura e as sobrancelhas, ainda enormes, já muito brancas. Senti uma certa nostalgia da TV Rural. E de o ouvir despedir-se, como bem lembrou a Sofia, 'com muita amizade'. A Televisão era, de facto, outra coisa. Até certo ponto mais íntima. E feita por gente que percebia do que falava.
E eu era bastante mais novo ...
AR

Comments:
Eu também esperava que o relato da pêra rocha acabasse para ver os dibujos animados.
E o 70 x 7 aos domingos... acho que havia alguns que eram o terror ao quadrado, Tv Rural seguido de 70 x 7. A RTP não simpatizava com os petizes.
Agora as conversa em família, essa é outro regime ...
 
Recordo-me perfeitamente de estar em Coimbra, sentado no chão da sala da minha tia, com toda a família reunida, a ver as Conversas em Família, enquanto esperávamos pela transmissão de uma corrida de touros. Como imaginas, não sabia que aquilo eram as conversas em família. Era um velho qualquer a palrar sentado numa poltrona, com uns óculos enormes e negros, e que nunca mais se calava. O que era, vim a saber muitos anos mais tarde. E recordo-me de o Chibanga tourear essa noite. E ter feito uma faena quase completa de joelhos!
É daquelas imagens que, não sei bem porquê, nos ficam gravadas e não as esquecemos mais.
AR
 
Eu só sou do tempo do TV Rural, onde com grande dedicação e amor à camisola se apresentava a pêra rocha, a plantação de soja ou da beterraba.
A merda era que assim que aparecia o genérico, eu sabia que os desenhos animados tinham acabado! E, confesso, chamava montes de nomes feios ao Sr. Sousa.
Já agora, quem não se lembra dos desenhos animados checos, bulgaros ou soviéticos apresentados pelo "camarada" Vasco Granja? E de como ele dizia, ou melhor, soletrava, os nomes acabados em OV ou CHEV? Ai que saudades de quando a TV era um espaço onde o capitalismo selvagem não fazia das suas... Agora é o que se vê. O que o povão quer, o povão tem! Na TV portuguesa a silly sesson é todo o ano:)
 
Apenas uma achega. O Eng, Sousa Veloso não se despedia com "muita amizade". Não era com muita nem com pouca, era apenas "com amizade."
"Despeço-me com amizade e até ao próximo programa".
"Oh tirana, oh, tirana,
oh tiranótiranótirana..."

GS
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?